O espaço SAGRADO representa a relação do Homem com o DIVINO, nele devem ser estabelecidas as relações entre a dimensão da arquitetura e os símbolos da construção da fé cristã.
A Capela de Santiago vem cercada de signos pensados para religar o Homem e Deus: o Cruzeiro, a água, os pedriscos e a vegetação, de modo a conferir à arquitetura “alguma coisa de divino”.
Na concepção de todo o espaço arquitetônico que domina a nave, a estrutura triangular que se repete é baseada na ossatura estrutural onde os vazios dominam os cheios num processo de desmaterialização e de abstração da arquitetura que favorece a contemplação.
Na transição entre a Capela e o urbano, a natureza se posiciona na sua relação de homogeneidade com o mundo e com as coisas humanas, casando o ambiente natural e o edifício e valorizando a relação que Padre Henrique tem com suas árvores do cerrado.
Assim a arquitetura criada buscou uma linguagem ordenada de construção simples, capaz de tornar visível a identidade do espaço e expressar o seu principio divino para que o fiel se ponha em contado com Deus.

 

001_2A relação entre o plano terreno e o sagrado é enfatizada pela verticalização e no projeto da Capela de Santiago é realizada pelos cruzeiros, o primeiro localizado na entrada da capela e o segundo colocado no espaço de contemplação. Ambos os cruzeiros possuem um caráter expressivo pois a forma desperta a religiosidade. No primeiro a forma histórica existente desde a crucificação de Cristo, o segundo que cria uma relação de ligação entre o sagrado e o profano articulando os braços da cruz fragmentados que criam uma indicação entre céu e terra.

001_7Assim a composição arquitetônica buscou a planta com altar central integrando o jardim e suas árvores com a nave numa ordem sem hierarquia que articula a relação de totalidade da Capela com seus espaços.

001_6Essa relação de totalidade é também evidenciada pela transparência dos espaços, primeiro o altar que se integra ao espaço de contemplação com o espelho d’água e o cruzeiro. Segundo o cobogó que permite também integrar o jardim interno e o jardim externo.

001_8Neste diálogo de totalidade e interação entre os espaços, o altar revela-se como o centro de ascensão, como a porta da mensagem da luz divina que incide no plano interno da igreja pela composição da cruz que brilha no revestimento de cobre e pelo reflexo do espelho d’água que permite que a luz penetre no espaço numa imagem de transcendência.

001_5O espelho d´água colocado simboliza a purificação necessária à ascensão divina se difunde da nave para o espaço de contemplação refletindo também o céu e o edifício fundidos num só elemento.

001_3O pedrisco que marca caminhos de ligação entre a Capela e o espaço urbano por sua natureza está associado à simplicidade e à humildade presentes no amor de Cristo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s