As arquitetas do Umbu Arquitetura como no movimento moderno buscam a arquitetura como arte, através da concepção da forma como ponto principal  da identidade do objeto arquitetônico.

A forma de pensar, criar e conceber o espaço parte da obra não como construção mas como ARQUITETURA,  na ideia escultórica de volumes com características que qualificam e enriquecem a percepção do espaço.

Esta percepção do espaço que o Umbu Arquitetura quer contextualizar na sua obra está presente na busca da poética que possa envolver o espectador/usuário numa extensão maior da busca da experiência da percepção dos sentidos na arquitetura pela compreensão e envolvimento da forma construída com o seu usuário.

Assim na interpretação do lugar, no entendimento de suas características físicas e na leitura da identidade do ambiente de intervenção do projeto, o Umbu Arquitetura começa a estabelecer a sua dialética entre a ideia e a concepção.

Considerando como primordial pelas arquitetas na concepção e no desenvolvimento da plástica a concepção do caminho/caminhar no entendimento da fluidez espacial, o objeto arquitetônico é gerado enfatizando a relação entre o volume construído e o espaço externo.

Visando neste jogo de ritmos/proporções a unidade plástica que o evidencia em seu contexto de criação/produção realizado na integração das artes e na abordagem de linguagens conceituais visuais capazes de articular formas expressivas no desenvolvimento máximo de suas possibilidades como elementos arquitetônicos.

Nas linguagens conceituais importantes para as arquitetas do Umbu Arquitetura é evidenciado a abstração dos elementos geométricos que num ritmo de proporção matemática que ordena e dispõe os espaços e estruturas.

Esta opção por uma construção geométrica elementar de forma estrutural simples visa estabelecer um contraste com o excesso de formas e estímulos visuais urbanos.

Para valorizar as  formas geométricas, o Umbu Arquitetura enfatiza também a repetição como elemento formal importante da sua criação plástica, trabalhando com um número reduzido de elementos a obra descarta o acessório e intensifica a percepção formal que é repetida.

Para enriquecer as relações de repetição e de abstração na leitura e percepção do espaço o Umbu Arquitetura trabalha sua plástica com o movimento visual buscando o contraste na interação entre formas e materiais diferentes e entre harmonias cromáticas fortes para enfatizar a composição de forma e a setorização do espaço e envolver o usuário e a arquitetura numa relação mais humana com o espaço pelas informações visuais capazes de interagir de forma dinâmica e harmônica

O Umbu Arquitetura produz uma obra concreta, material e humana carregada de cultura, história, símbolos e valores artísticos da identidade e vivência de suas arquitetas cujos símbolos usados enfatizam a relação de integração do homem com o  cerrado que o cerca dando nova personalidade a estruturas, materiais e espaços presentes na identidade da arquitetura brasileira.

DSC00187
DSC00192

DSC00178
DSC00171

DSC00168

DSC00156

DSC00152

DSC00147

DSC00145

DSC00130

DSC00125

DSC00119

DSC00112

DSC00170

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s